New Year’s Resolutions

Boa tarde, pessoal! Sei que o dia hoje é corrido, mas não poderia deixar 2018 terminar sem vir aqui escrever o último texto do ano, né? Já estou pensando em escrever faz semanas, mas de fato, fui tomada pela correria dos dias festivos.

Well, como hoje é o último dia do ano muita gente gosta de dizer que precisamos ser gratos e provavelmente tanto eu quanto você, já devemos ter lido ou visto várias mensagens nas redes sociais falando sobre isso, certo? Concordo, precisamos ser gratos a Deus, aos que estiveram ao nosso lado, aqueles que nos viraram as costas e até mesmo pelas lutas ou dificuldades, só não vejo muita sinceridade em querer só ser grato dessa forma tão exagerada só porque o ano está acabando. Quem é grato de verdade é grato o ano todo, concorda? Enfim, cada um com seu cada um… nem é sobre isso que vou falar.

Os americanos têm uma tradição de ano novo que acho muito legal e super válida, que é fazer uma listinha (chama-se “New year’s eve resolutions) de coisas que você deseja cumprir no próximo ano, que você quer melhorar ou aprender, enfim, algo que você tem como desejo e vai fazer por onde para que se realize.

Dessa vez resolvi tentar e fiz a minha! Parei para escrever num caderninho algumas coisas que preciso e quero, definitivamente, mudar em minha vida. Tenho pensado bastante em como tenho vivido meus dias e não estou muito feliz. Vejo a vida passar diante dos meus olhos e estou cansada de ficar só de espectadora, como fiquei a maior parte do tempo. Hoje, pela primeira vez em 38 anos, me sinto livre para viver, para pensar, para agir… porque durante bastannnnnte tempo vivi em prisões emocionais, até mesmo dentro de instituições que deveriam amar e cuidar, era vigiada no que falava, no que postava, tratava-se de uma opressão mesmo, sabe? Para aqueles que são cristãos, Cristo nunca criou ou defendeu uma ideologia, uma religião onde queria pessoas que não pensassem por si mesmas, pelo contrário, Ele veio nos trazer vida, liberdade, identidade, livre arbítrio. Nós temos que ser responsáveis por aquilo que pensamos e não pensar e agir somente pela indicação de qualquer tipo de líder.

É triste, mas esse ano vi igrejas se transformarem em seitas (significado segundo o dicionário: “Doutrina que, propagada por um grande número de pessoas, se afasta ou diverge de certa forma de outra doutrina principal“), deixando de seguir a doutrina principal para seguir o objetivo de homens. É uma espécie de lavagem cerebral mesmo, por incrível que pareça… me perdoe, mas não vejo Cristo nisso. Ele é simples, leve, não impõe regras. Não há medo ou manipulação em Jesus, sabe por que? Porque ele não segue um sistema religioso, ele não está interessado em quantidade de seguidores ou em ter um templo, porque ele simplesmente é.

Em muitos momentos em que estive presa pela religião, era tão difícil ver esse Jesus, ainda tinha medo, não me sentia digna, afinal, a religião desde sempre me ensinou que eu precisava fazer algo, estar trabalhando na igreja para alcançar o amor de Deus, embora isso seja velado… Enfim. Não estou dizendo que sou contra quem trabalha na igreja, de forma nenhuma, desde que isso não seja imposto ou se torne uma prisão ou uma condição para que Deus te veja ou abençoe. Continuo amando a igreja, a obra, as pessoas, mas hoje vejo. Infelizmente temos afastado mais do que abraçado.

Tem uma música que diz que “só uma fé que abalada foi, inabalável será”. Como vejo verdade nessa frase. Enquanto ficarmos vivendo de experiências de outras pessoas, não estaremos maduros para entender e viver algumas coisas. É sim relevante e sábio ouvir as histórias de outros, no entanto, algumas vezes, teremos que aprender com as nossas próprias.

Voltando para as resoluções de ano novo, isso tudo que escrevi se encaixa na parte da minha vida que estou começando a viver e certamente levarei para 2019: saber viver (não de forma inconsequente, não como se não houvesse amanhã, mas certamente viver sendo livre), ter coragem para fazer, não ficar paralisada pelo medo.

Não poderia deixar de falar da minha mais nova paixão: Deli di Eli. Que surgiu de forma quase que inesperada e de forma intensa nesse finalzinho de ano. A ideia de fazer lanches low carb se tornou realidade quando me vi procurando esse tipo de comida e não encontrei com facilidade no centro da cidade. Daí, as aulas de negócio da faculdade fizeram minha mente voar e acreditar que seria possível empreender e foi! Iniciei o negócio em dezembro fazendo chocotones low carb e personalizei com meu nome, para trazer o cliente para a intimidade da Deli di Eli, então o tradicional panetone se transformou em “Elitone”, rssss.

Deu super certo, a aceitação me surpreendeu e a partir de janeiro, a Deli di Eli iniciará de fato com a ideia original que é fazer lanches rápidos low carb, como bolos, pães, panquecas… coisas para quem está no trabalho ou na faculdade e precisa fazer um lanchinho rápido e saudável. Estou muiiiito orgulhosa e feliz por esse projeto ter iniciado bem e se Deus quiser, irá longe!

Foi um ano bem difícil para mim, estive em momentos desanimada, em depressão, sozinha, mas em outros estive também feliz, voltei a ter contato com amigos queridos, comecei meu próprio empreendimento, me senti viva de novo, útil, com esperança…

E é com essa esperança, mesmo que ainda no início, que termino esse ano e esse texto. Há esperança para cada um de nós para o ano que inicia daqui a pouco. Acredite em você! Você pode! Deixa esse sofá e se levante, se arrume, dê uma volta no centro, vá ao shopping (mesmo que não vá comprar nada), veja pessoas, olhe o sol, olhe para o céu azul ou pegue chuva, enfim, VIVA!!!

A vida é uma só e passa muito rápido, você não pode ficar só trabalhando ou só estudando ou só indo a igreja e voltando para casa, às vezes para os problemas, é PRECISO reagir, é preciso forçar a barra e se levantar, tentar!

Não desista da sua vida, caro leitor! Há mais para você do que o que você está vivendo agora. Creia nisso, lute pela sua vida, lute pelos seus sonhos. Acredite que Deus tem um propósito verdadeiramente para você, algo só para você.

Quero te encorajar a iniciar 2019 com uma listinha de resoluções do que você quer e precisa mudar. Faça o teste, comece a escrever, coloque no papel as coisas que vierem à sua mente e a coloque em algum lugar visível, para que não caia no esquecimento do dia a dia. Coloque em prática de acordo com suas possibilidades, mas não se acomode! Se você não provocar a mudança, ela não vai acontecer.

Obrigada pela sua companhia nesses meses em que iniciei esse blog, obrigada por gastar tempo lendo minhas experiências e ideias, compartilhando comigo da minha dor e das minhas alegrias. Espero de todo o coração que tenha sido útil para você. Desculpe também se o ofendi de alguma forma, mas como escrevi quando iniciei, são minhas ideias, você não precisa concordar.

Que Deus te abençoe e proporcione um 2019 de paz, coragem, amor, alegria, realizações, descobertas sobre si mesmo…

Feliz ano novo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *