Liberdade x Limites

Oi, pessoal! Hoje tem post novo!😇😊

Masss primeiro gostaria de agradecer a ótima recepção que tive com o lançamento do blog, fiquei emocionada com cada recadinho.😍 Todo apoio e carinho que vocês me dão é importante e me incentiva a ir adiante, tanto que agora já não tenho um blog, olivrodeeli agora é um site!👏👏 Ajudem a divulgar e vamos nessa porque o texto é grande! 🤭

Desde a primeira vez que vi essa foto da escultura Freedom, do artista americano Zenos Frudakis, mexeu muito comigo… o processo que a pessoa representada na imagem teve que passar para chegar à tão sonhada liberdade foi difícil, doloroso e demorado, principalmente porque até que ela tenha tido a coragem de tomar a decisão de sair do lugar onde se encontrava presa (o que acabou virando uma “zona de conforto”, porque tecnicamente se não tenho como sair, aceito minha condição) certamente teve que desconstruir muitos pensamentos.

Ao ler um texto do Mitch Maier no Instagram (ele é um pensador!!! @homemvoador) com a frase “liberdade tem limites” me fez pensar muiiiito a respeito… afinal, a liberdade tem limites? Ué, se sou livre como podem existir limites? Vou compartilhar com vocês a conclusão que cheguei sobre isso, mas já deixo claro que o objetivo aqui não é de forma nenhuma levantar polêmicas ou levantar bandeiras de ideologias… Não! Apenas quero expressar o que penso sobre isso, ok? Lembre-se, você é livre para pensar diferente! 😉

Desde sempre o ser humano busca e luta pela sua liberdade, muitos mataram e muitos morreram em nome dela. Da mesma forma que ansiamos tanto por ela, outros a usam para aprisionar pessoas em prol de seus ideais. Milhões de pessoas vivem presas emocionalmente por terem esquecido do sentido da palavra liberdade ou talvez por nunca a terem conhecido de verdade. Talvez simplesmente, desde que se entendem por gente, aquele ambiente ou aquela ideia distorcida do que é ser livre é tudo que sempre tiveram.

Acredito que há uma linha muito tênue entre viver a liberdade na sua plenitude e descambar para uma rebelião, principalmente se você ficou preso muito tempo e descobre que pode ser livre, que há vida fora da gaiola. Dá pra viver sem a cordinha te puxando… No entanto o que acredito ser a resposta para a frase que dá título a essa reflexão é o bom senso. É ele que vai nortear e nos trazer entendimento de como viver a tão sonhada liberdade sem ferir os princípios que acreditamos, sem ferir nossa fé ou ao próximo.

A verdadeira liberdade não é aquela que mostramos com atitudes revolucionárias, pra mostrar pra todo mundo que estamos fazendo algo… acredito que vem do espírito, do interior. É nossa mente, nossos pensamentos e sentimentos que precisam encontrar a liberdade e então isso refletirá em nossas ações naturalmente. Precisamos ser livres de palavras e ações que nos feriram, precisamos ser livres de pessoas que tentam nos manter encarcerados em prol de uma ideologia, precisamos ser livres dos medos que tentam nos paralisar dizendo que não somos capazes…

Não sei quantos de vocês leem a Bíblia (se ainda não, aconselho como manual de vida, é libertador!), mas ela nos dá um ótimo exemplo a respeito da diferença entre liberdade e ser livre. A história de Paulo e Silas enquanto presos mostra exatamente isso:

“E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança. O qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior, e lhes segurou os pés no tronco. E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. Atos 16:23-25.”

Eles não estavam em liberdade, mas eram livres em suas mentes, emoções e espíritos, embora seus corpos estivessem presos. Da mesma forma que muitos de nós estamos fisicamente em liberdade, mas não vivemos livres, estamos encarcerados em nossas próprias prisões. Entende a diferença? No caso deles a liberdade tinha limites físicos, mas descobriram como ser livres.

O apóstolo Paulo disse que foi para a liberdade que Cristo nos libertou e que não era para voltarmos a nos submeter a um jugo de escravidão (Gálatas 5.1). Por que então nós mesmos nos permitimos viver tantos anos presos, vivendo como escravos emocionais? Nos últimos tempos entendi que o ser humano tem o costume de culpar o outro por algumas coisas e acaba se esquivando da sua própria responsabilidade, por exemplo: “aquilo não deu certo porque me falaram que eu não conseguiria”… mas a grande questão aqui é: por que passei tanto tempo aceitando e acreditando que o que falaram de mim era a verdade absoluta da minha vida se Jesus, aquele me criou e deu a vida por mim, para que eu fosse LIVRE, falou que me chamou para a liberdade e me chamou para ser filha amada??? Ou seja, uma mente aprisionada não consegue viver o livre arbítrio, não pensa por ela mesma e fica dependente da definição que outras pessoas dão a seu respeito para viver, ou melhor, para sobreviver.

Sabe como ser livre sem viver os limites impostos pelos outros? Em Jesus! Ele é a liberdade que precisamos. Ele é quem nos traz nossa identidade de que somos importantes sim, somos preciosos sim, porque afinal, se não tivéssemos valor por que Ele se preocuparia tanto conosco? Já pensou sobre isso? O mundo está em guerra por todos os lados, pessoas matam por nada… você realmente acha que está vivo hoje e com saúde por acaso???

Ao contrário do que muitos pensam, nosso valor não está no que temos ou podemos fazer, mas em quem somos! É bem verdade que há muito tempo esse valor foi invertido e infelizmente em todas as esferas da sociedade o que temos visto são pessoas tratando as outras como uma espécie de mercadoria, moeda de troca, descartáveis mesmo. Porém foi o próprio Deus que criou você do jeitinho que você é e por mais que por muitas vezes você não consiga ver isso ou até possa ter ouvido coisas que o feriu, Jesus morreu para que nEle você fosse livre, pudesse viver uma vida plena, livre de acusações, mas reconhecendo seu valor como uma pessoa amada e importante.

A verdadeira liberdade não tem limites, é verdade, ela vem acompanhada do bom senso, ela liberta nossa mente e emoções de limites impostos de forma abusiva e nos molda na fôrma que Jesus sonhou para nós.

Por favor, não interprete falta de limites como libertinagem. Nunca foi sobre isso, sempre esteve ligado ao amor, a verdadeira paz e alegria, a ser livre de prisões na mente, emocionais… e de pessoas tóxicas.

Não tem a ver com uma religião, tem a ver com você se reconectar com sua origem. Se você acha que ninguém pensa em você, Ele pensou. Se você ainda acredita que ninguém te ama e que você não é importante para ninguém, Ele te ama e você é importante para Ele! Se permita ser livre, faça como a escultura da foto acima, vá tentando, lutando, buscando forças naquele que te criou e tenho certeza que assim como eu, aos poucos, você vai chegar lá! A vida é feita de processos. Não desista de viver uma vida plena, não se entregue, mesmo que você não tenha muitos motivos agora para acreditar no que vê ou no que está lendo, ouça a voz que vem do seu espírito, ouça seu Pai te chamar e responda.

Busque em Deus a perfeita liberdade. Foi para mim, é para você, é para todos! ❤

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.